Mensagem de erro

|Cuba

Cuba continua a enfrentar acções de violência instigadas e financiadas nos EUA

Uma reportagem especial da TV cubana evidenciou o apoio da «máfia terrorista de Miami» a várias acções de sabotagem perpetradas em Cuba entre 2017 e 2020, com a conivência e a cumplicidade dos EUA.

O governo de Cuba classificou o descarrilamento de um comboio de carga, em Maio de 2019, com acção de sabotagem e acção de terrorismo; quatro pessoas afirmaram ter recebido «incitamento, organização e financiamento a partir da Florida», nos EUA
O governo de Cuba classificou o descarrilamento de um comboio de carga, em Maio de 2019, com acção de sabotagem e acção de terrorismo; quatro pessoas afirmaram ter recebido «incitamento, organização e financiamento a partir da Florida», nos EUA Créditos / periodicocubano.com

Numa mensagem publicada esta quarta-feira na sua conta de Twitter, o presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel, referiu-se às provas apresentadas na TV nacional e denunciou as acções violentas levadas a cabo contra o país caribenho, organizadas e financiadas a partir dos Estados Unidos.

«A violência e o terrorismo fazem parte do plano com que pretendem desestabilizar a nossa sociedade. Fica em evidência o nível moral dos mercenários e dos seus financiadores», escreveu na rede social.

Na reportagem televisiva, acessível no canal de YouTube do portal cubadebate.cu, são apresentadas provas fílmicas do incitamento a actos de sabotagem e subversão na Ilha a partir de território norte-americano, em troca de dinheiro e promessas de emigrar.

Vários cidadãos cubanos que aparecem na reportagem contam como receberam instruções e dinheiro de pessoas e organizações radicadas no Sul da Florida (EUA), para provocarem incêndios em instalações comerciais e de serviços em Havana.


Entre os alvos contavam-se viaturas, consultórios médicos e centros educativos. De acordo com a reportagem, um dos envolvidos reuniu informação sobre o Sistema Eléctrico Nacional (SEN), que depois entregou a quem o contactou. Essa informação serviria para organizar, mais tarde, ataques ao SEN, ao mesmo tempo que eram divulgadas notícias falsas, para criar descontentamento e irritação.

Entre as sabotagens que chegaram a ser executadas, destaca-se o descarrilamento de um comboio de carga, proveniente do terminal de contentores de Mariel, infra-estrutura de grande importância para o país, localizada na província de Artemisa, cerca de 40 quilómetros a oeste de Havana.

As investigação do facto, ocorrido em Maio de 2019, conduziu à detenção dos quatro autores, que confirmaram o incitamento, a organização e o financiamento a partir da Florida. No caso, envolveram-se dois cidadãos norte-americanos de origem cubana com um vasto currículo em acções criminosas.

Como eram cidadãos residentes nos Estados Unidos, as autoridades cubanas alertaram a administração norte-americana para as «acções terroristas». A reportagem denuncia, no entanto, que, dando a aparência de actuar de forma severa, as autoridades dos EUA não assumem uma atitude de combate a estes terroristas, mas antes de protecção.

Tópico