|Pintura

Obra de Josefa de Óbidos exposta no Museu Nacional de Arte Antiga

«A Leitura da Sina do Menino Jesus» estará um mês em exibição em Lisboa, depois do Estado ter perdido a oportunidade de adquiri-la por falta de verba.

«A leitura da Sina do Menino Jesus», pintura de Josefa de Óbidos de 1667, estará em exposição no Museu Nacional de Arte Antiga durante do mês de Setembro. Lisboa, 3 de Setembro de 2019
«A leitura da Sina do Menino Jesus», pintura de Josefa de Óbidos de 1667, estará em exposição no Museu Nacional de Arte Antiga durante do mês de Setembro. Lisboa, 3 de Setembro de 2019 Créditos / Agência LUSA

A obra-prima da pintora, que data de 1667, foi vendida num leilão na Alemanha em Junho deste ano, e é reconhecida por especialistas «pela qualidade e iconografia rara».

A Direcção-Geral do Património Cultural, aquando do leilão, tentou adquirir a pintura para o Museu Nacional de Arte Antiga (MNAA), mas não conseguiu porque o valor de 220 mil euros ultrapassava o financiamento disponível para o quadro.

A obra vem a exposição depois do seu actual proprietário, o coleccionador argentino Jaime Eguiguren, ter acedido à solicitação do director do Museu. O galerista é actualmente o detentor do maior acervo de obras de Josefa de Óbidos, possuindo 15 pinturas ao todo.

A pintura, feita sobre placa de cobre, tem uma dimensão de 23 por 29 centímetros e mostra a Virgem Maria com o Menino Jesus ao colo a ser saudado por outras mulheres com crianças, enquanto uma cigana lhe pega na mão para ler a sina. A cena passa-se na estadia da família de Jesus no Egipto, sendo que a associação entre este país e o povo cigano foi usual na época, constando de colectâneas de gravuras e pinturas da Península Ibérica.

Joaquim Caetano, director do MNAA afirmou, em declarações à agência Lusa, que se trata de «uma peça extraordinária, com um tema muito raro».

Segundo o historiador de arte, as obras da artista estão a ser mais valorizadas e é possível que venham a surgir, no mercado, obras desconhecidas de Josefa de Óbidos pelo facto de «se tratar de uma mulher artista de grande talento do período barroco».

Depois da inauguração realizada esta sexta-feira, que contou com uma sessão onde se debateu a obra, prevê-se um iniciativa semelhante no próximo dia 3 de outubro.

Com agência Lusa

Tópico