|cinema

Festival de Cinema da Organização para a Cooperação de Xangai decorre na Índia

O certame começou ontem e prolonga-se até dia 31 em Mumbai, com 14 obras cinematográficas a concurso e quase seis dezenas em exibição – de países-membros e não só.

O Teatro Jamshed Bhabha acolheu a cerimónia de abertura 
O Teatro Jamshed Bhabha acolheu a cerimónia de abertura Créditos / SCO Film Festival

O encontro é organizado pelo Ministério indiano da Informação e Radiodifusão através da Sociedade Nacional de Desenvolvimento Cinematográfico, num momento em que Índia detém a presidência da Organização para a Cooperação de Xangai (OCX).

Na cerimónia de abertura, que decorreu ontem no Teatro Jamshed Bhabha do Centro Nacional de Artes Cénicas de Mumbai, coube ao filme tâmil Appatha, do premiado realizador Priyadarshan, inaugurar o evento cinematográfico.

O Festival de Cinema da OCX tem entre os seus objectivos criar parcerias cinematográficas, promover intercâmbios de programas, ajudar a desenvolver jovens talentos e servir como ponte entre as culturas dos oito países-membros da organização, que é integrada por Cazaquistão, China, Índia, Paquistão (não participa no festival), Quirguistão, Rússia, Tajiquistão e Uzbequistão.

Ao longo destes dias serão exibidos em várias salas de Mumbai 57 filmes em várias secções, nomeadamente Clássicos Indianos Restaurados, Curtas-metragens, Realizadores ou Infantil.

Países como Bielorrússia, Arménia, Azerbaijão, Egipto, Turquia ou Sri Lanka, que têm o estatuto de observadores ou de parceiros de diálogo junto da OCX, também apresentam diversas obras no certame.

Cartaz com imagens de filmes incluídos na secção de Competição / SCO Film Festival

Na secção de Competição apenas podem concorrer os oito países-membros da organização, que este ano apresentam 14 filmes, candidatos ao prémio especial do júri e aos prémios de melhor longa-metragem, melhor actor, melhor actriz e melhor realizador, informa o portal do festival.

Mom, I'm Alive!, de A. Zairov e M. Mamyrbekov, e Paralympian, de Bairakimov Aldiyar, são as apostas do Cazaquistão; B for Busy, de Yihui Shao, e Home Coming, de Xiaozhi Rao, são os filmes da China a concurso; pela Índia, concorrem The Last Film Show, de Pan Nalin, e Godavari, de Nikhil Mahajan.

Pelo Quirguistão, apresentam-se a concurso Uy satylat (Home for Sale), de Taalaibek Kulmendeev, e Akyrky Koch (The Road to Eden), de Bakyt Mukul e Dastan Zhapar Uulu; enquanto da Rússia vêm Podelniki, de Evgeny Grigorev, e Don't Bury Me Without Ivan, de Liubov Borisova.

Okhirin Saydi Sayod, de Mahmadrabi Ismoilov, e Dov (Fortune), de Muhyiddin Muzaffar, são as propostas do Tajiquistão para os prémios do festival, enquanto o Uzbequistão traz Ayol Qismati, de D. Masaidov, e Meros (Legacy), de X. Nasimov.

Além da exibição dos filmes, o evento cinematográfico inclui conferências, sessões de debate, exposições fotográficas e de cartazes, música, entre outras actividades, aponta o Deccan Herald.

Tópico

Contribui para uma boa ideia

Desde há vários anos, o AbrilAbril assume diariamente o seu compromisso com a verdade, a justiça social, a solidariedade e a paz.

O teu contributo vem reforçar o nosso projecto e consolidar a nossa presença.

Contribui aqui