|exposições

Espaços e Centros de Arte

Espaços que divulgam e cuidam da cultura artística do nosso tempo são representativos do que se faz nas artes. Ex-líbris Amadora, Espaço Oficinas, Imargem, CVA, Espaço+, Casa da Cerca e Centro de Artes de Sines.

Rui Matos em Alzejur
Rui Matos em AlzejurCréditos / Espaço +

Na sequência do artigo, já aqui apresentado como «Espaços de Programação para as Artes Plásticas», pretende-se continuar a apresentar a programação de mais alguns espaços de arte contemporânea, sejam institucionais, municipais ou ligados a associações sem fins lucrativos.

Duas associações de artistas plásticos da Amadora, ambas fundadas em 1985, respectivamente a AGA – Associação de Gravura da Amadora e o Artever – Grupo de Artes Plásticas da Amadora com a Câmara Municipal da Amadora, no âmbito do 40.º aniversário do município da Amadora, organizam o projecto «Ex-líbris Amadora 40 Anos» com o objectivo de divulgar a produção do ex-líbris contemporâneo a uma população alargada, tendo também como  foco as escolas dos diferentes níveis e promover o gosto pelo livro objecto.

Participaram no concurso internacional, 86 autores de 19 países, com 156 trabalhos, e no concurso das escolas participaram 15 alunos, de duas escolas e com 27 trabalhos em todas as técnicas de produção de estampas, realizadas em diversos tipos de matrizes e impressos em múltiplos sobre papel.

Até 31 de Outubro podem ser visitadas as exposições Concurso de Escolas na Galeria Espaço Artever1 e a exposição individual Juan Sebastian Carnero e o Ex Libris na Galeria Espaço AGA2. A Exposição do Concurso Internacional na Galeria Municipal Artur Bual3 decorre até 17 de Novembro.

Em Aljustrel, nas Oficinas de Formação e Animação Cultural4 está a decorrer a exposição de pintura «Para Além da Realidade» do artista Gustavo Fernandes e poderá ser visitada até 19 de Outubro.

O Espaço Oficinas é um equipamento municipal onde se realizam actividades de formação e animação cultural tais como, exposições, espectáculos de música e dança, tertúlias, oficinas de formação, entre outras.

Na programação da Galeria de Arte Imargem5, em Almada, assinalamos a exposição de fotografia Entre Mundos, de Fernanda Guerreiro, que pode ser visitada até 22 de Outubro.

Nesta exposição de fotografia poderemos observar que a luz e a sombra representadas se entrelaçam em diversos layers e sequências que poderão ser interpretadas ou utilizadas como ponto de partida aos espectadores, para criarem as suas próprias estórias ou novas imagens. 

O CVA - Colectivo de Valorização Artística6 é uma associação cultural e artística de Vila Nogueira de Azeitão.

Associando-se à época das vindimas, realiza uma exposição colectiva de arte contemporânea, Os Amigos de Dionísio, com a participação dos artistas António Bártolo, António Proença de Carvalho, António Procópio, Bruno Santos, Carlos Bajouca, Fátima Valeriano, Gilberto Gaspar, João Sebastian, José Henrique Prado e Júlio Jorge. Esta exposição pode ser visitada até 20 de Outubro.

O Espaço+ 7 é um equipamento cultural do município de Aljezur. Actualmente apresenta a exposição de escultura de Rui Matos, Chegamos aonde não sabemos, por caminhos que não sabemos, que pode ser visitada até 31 de Outubro

Com um trabalho focado na escultura, Rui Matos tem vindo a utilizar diversos materiais, entre os quais ferro, pedra, ardósia e bronze fundido. É autor de várias esculturas públicas em Durbac (Alemanha), Lisboa, Cascais, Chaves, Oeiras, Portalegre, Belver, Almada, Vila Nova de Gaia, Vila Franca de Xira, São Pedro do Sul, Aveiro, Alfândega da Fé e Caldas da Rainha. 

A Casa da Cerca – Centro de Arte Contemporânea8, foi adquirida pela Câmara Municipal de Almada em 1988 e abriu ao público em 1993, tendo como principal impulsionador e primeiro director o artista Rogério Ribeiro.

Daniela Ortiz. El ABC de la Europa Racista, 2017. Impressão a cor sobre papel colado em PVC Créditos

Desde o início foi assumido como principal função da Casa da Cerca a divulgação do Desenho Contemporâneo. Na Casa da Cerca, o Centro de Documentação e Investigação Mestre Rogério Ribeiro é dirigido a investigadores, disponibilizando catálogos, livros e outros documentos pessoais de artistas.

Quanto à divulgação da arte contemporânea, a Casa da Cerca tem vindo a oferecer uma enorme diversidade de exposições individuais, coletivas e temáticas com artistas nacionais e estrangeiros.

Este centro artístico possui ainda um serviço educativo com actividades regulares na componente pedagógica/lúdica para os mais jovens e o Chão das Artes-Jardim Botânico que articula as vertentes científica e artística, possuindo o Jardim dos Pigmentos, o Pomar das Gomas, o Jardim dos Pintores, o Jardim dos Óleos, o Jardim das Telas e a Mata.

A exposição que ainda podemos visitar até 20 de Outubro na Casa da Cerca tem como título O ABC da Europa Racista e a autora é a artista e activista Daniela Ortiz (Perú,1985). Segundo a curadora Filipa Oliveira, «A exposição pretende gerar narrativas visuais e desafiar estereótipos, nos quais conceitos como nacionalidade, colonialismo, racismo e eurocentrismo são explorados numa leitura profundamente crítica às estruturas de poder colonial, patriarcal e capitalista ainda presentes e atuantes na nossa sociedade europeia actual.»9

Esta exposição debruça-se ainda sobre «o sistema de controle migratório europeu, nas suas ligações com o colonialismo e a estrutura legal criada pelas instituições europeias que tratam violentamente as comunidades migrantes». É ainda referido no texto da curadora que «um espaço de arte é também um lugar político, um lugar de produção de pensamento, e é especialmente um lugar de questionamento»10.

Daniela Ortiz tem desenvolvido uma perspectiva crítica sobre muitas das preocupações do nosso tempo, em particular sobre «a classe alta peruana e a sua relação com as trabalhadoras domésticas»11, esta artista, mais recentemente, tem vindo a afastar-se das obras de maior enquadramento estético ocidental, vindo a aproximar o «seu fazer artístico… no visual e manual, com trabalhos em cerâmica, colagem, desenho e formatos como o livro infantil.»12

O Centro de Artes de Sines13 é um projecto de arquitectura do Atelier Aires Mateus & Associados, situado no centro histórico de Sines e foi inaugurado em 2005.

O projecto Centro de Artes de Sines foi um dos sete finalistas do «Mies van der Rohe», prémio de arquitectura contemporânea concedido pela União Europeia, galardoado com o prémio alemão ContractAward e foi também uma das obras vencedoras dos Prémios de Arquitectura Ascensores Enor 2006.

O Centro de Artes possui quatro equipamentos, o Centro de Exposições, a Biblioteca Municipal, um Auditório e o Arquivo Histórico Municipal e desenvolve uma programação regular de actividades culturais.
No Centro de Exposições do CAS, encontra-se agora uma exposição que tem como título Contra a Abstracção e pode ser visitada até 27 de Outubro.

Esta exposição foi organizada pela Culturgest, com obras da sua colecção, em parceria com a Câmara Municipal de Sines, e tem Sandra Vieira Jürgens como curadora. A exposição é composta por quatro núcleos: Laboratório Moderno, Espaços Comuns, Abstração Eclética e Contra-Campo abrangendo artistas que apresentam questões ligadas aos primórdios da abstração até aos artistas que marcam a criação do século XXI.

Dos 45 artistas que participam nos diversos núcleos, destacamos Joaquim Rodrigo, Nadir Afonso, Jorge Pinheiro, Pedro Cabrita Reis, António Palolo, António Ole, Cruzeiro Seixas, Ernesto de Sousa, Espiga Pinto, Pedro Portugal, Ana Jotta Fernanda Fragateiro, Bruno Pacheco e Leonor Antunes.

Segundo o texto da curadora, «a exposição estrutura-se em torno de um dos principais conceitos do discurso comum da História da Arte: o abstrato. Não obstante o título colocar a abstração sob crítica e suspeita, esta exposição propõe um exercício de debate, de ativação de uma linguagem que oscila continuamente entre momentos de crise e superação, criando um espaço de revisão alargada e análise plural e multidirecional do conceito…».

  • 1. Galeria Espaço Artever, Rua Padre António Vieira, loja 22-B, Venda Nova, Amadora. Horário: segunda a sexta, das 15h às 18h ou em horário a combinar. Tel. 214741173
  • 2. Galeria Espaço AGA- Rua Padre António Vieira, loja 22, Venda Nova, Amadora. Horário: segunda a sexta, das 15h às 19h ou em horário a combinar. Contactos: 931847875 ou 931847874
  • 3.  Galeria Municipal Artur Bual, R. Luís de Camões n.º 2, Venteira, 2700-535 Amadora. Horário: terça a sábado, das 10h às 13h e das 14h00 às 18h, domingos e feriados, das 14h às 18h 
  • 4. Oficinas de Formação e Animação Cultural - Rua Adeodato Barreto-Aljustrel. Horário: terça a sexta às 10h, 12-30 e das 14h às 21h, sábado, das 10h às 12h30 e das 14h às 18h30
  • 5. Galeria de Arte Imargem - Rua Torcato José Clavine, n.º19 Piso 03 2800-710 Almada. Horário: segunda 17h-20h; quarta 9h30-13h e 14h-17h
  • 6. CVA - Rua José Augusto Coelho nº 85, Vila Nogueira de Azeitão. Horário: 6.ª a domingo, das 15h30 às 20h
  • 7. Espaço+ - Rua da Escola, Igreja Nova 8670-063 Alzejur. Horário: segunda-feira, das 10h às 15h30h; de terça a sexta, das 10h às 18h; sábado, das 10h às 13h e das 14h às 18h. Encerra ao domingo
  • 8. Casa da Cerca – Centro de Arte Contemporânea, Rua da Cerca, 2800-050 Almada. Horário: Exposições e Jardim Botânico : de terça a domingo das 10h às 18h. Centro de Documentação e Investigação Mestre Rogério Ribeiro: de terça a sexta das 10h às 12h30 e das 14h às 17h
  • 9. Texto de Filipa Oliveira, Folheto exposição
  • 10. Ibidem
  • 11. Ibidem
  • 12. Ibidem
  • 13. CAS – Centro de Exposições, Rua Cândido dos Reis 33, Sines. Horário: Segunda a sexta, 14h00-20h00; sábados, domingos e feriados, 14h30-20h

Tópico