|cinema

Cinema português a caminho dos Óscares

Listen, de Ana Rocha de Sousa, Mosquito, de João Nuno Pinto, Patrick, de Gonçalo Waddington, e Vitalina Varela, de Pedro Costa, são os filmes nomeados para serem o candidato português à categoria de Melhor Filme Internacional dos Óscares.

Fotograma de «Vitalina Varela»
Fotograma de «Vitalina Varela»Créditos / Film Festival Cologne

A Academia Portuguesa de Cinema anunciou esta segunda-feira, em comunicado, os quatro filmes nomeados para a votação do candidato de Portugal à categoria de Melhor Filme Internacional na 93.ª edição dos Óscares, em Abril de 2021, escolhidos «entre as 33 longas-metragens elegíveis».

Os quatro nomeados foram escolhidos por um «comité de pré-selecção», composto pelo realizador e produtor Gonçalo Galvão Teles, a actriz Isabel Abreu, o realizador Lauro António, o director de fotografia Miguel Sales Lopes, a realizadora Monique Rutler e o actor e realizador Welket Bungué.

O processo de escolha do candidato português passará agora por um período de votação entre os membros da Academia Portuguesa de Cinema, que decorre de 2 a 15 de Novembro, até à revelação do filme seleccionado, que será anunciado a 16 de Novembro.

A 93.ª edição dos Óscares está marcada para 25 de Abril de 2021, em Los Angeles, nos Estados Unidos da América.

Listen, com produção da Bando à Parte, é a primeira longa-metragem de ficção de Ana Rocha de Sousa, um drama familiar inspirado em factos reais, sobre uma família de emigrantes portugueses em Londres, a quem é retirada a guarda dos filhos, por suspeitas de maus-tratos.

O filme, que venceu seis prémios no Festival de Veneza, entre os quais o Leão do Futuro, para uma primeira obra, e o prémio especial do júri da competição «Horizontes», estreou-se nas salas portuguesas em 21 de Outubro.

Mosquito, de João Nuno Pinto, é uma produção da Leopardo Filmes, que teve estreia mundial em Janeiro, no Festival Internacional de Cinema de Roterdão, nos Países Baixos, e chegou às salas portuguesas no início de Março.

Candidato de Portugal à categoria de Melhor Filme Ibero-Americano à 35.ª edição dos Prémios Goya, em Fevereiro de 2021, Mosquito conta a história de Zacarias, «um jovem português sedento por viver aventuras heróicas durante a Primeira Guerra Mundial».

Patrick, a primeira longa-metragem do actor e realizador Gonçalo Waddington, é uma ficção sobre identidade e individualidade, que tem como pano de fundo um caso de rapto e pedofilia.

O filme, com produção de O Som e a Fúria, que se estreou em Junho nas salas portuguesas, é sobre um jovem adulto em Paris, de quem se descobre a verdadeira identidade; Patrick é Mário, um português que tinha sido raptado e separado da família, em Portugal, aos 12 anos.

Vitalina Varela, de Pedro Costa, estreou-se em 2019, no Festival de Locarno, na Suíça, onde recebeu o prémio máximo, o Leopardo de Ouro, assim como a protagonista, Vitalina Varela, que foi duplamente premiada como melhor actriz.

Desde então o filme já foi exibido em mais de 50 festivais de cinema, cinematecas e ciclos dedicados a Pedro Costa, tendo sido premiado na maioria dos certames, como o Festival de Cinema de São Francisco, nos Estados Unidos, em Abril, que deu ao realizador o prémio «Persistence of Vision».

O filme, com produção da OPTEC, conta a história de uma mulher que viveu grande parte da vida à espera de ir ter com o marido, Joaquim, emigrado em Portugal. Sabendo que ele morreu, Vitalina Varela chegou ao país três dias depois do funeral.


Com agência Lusa

Tópico