|salários

Acordo aprovado responde positivamente às reivindicações

Vitória dos trabalhadores da Gestamp

Os trabalhadores da empresa do sector automóvel, em Vendas Novas, aprovaram em plenário o acordo de aumentos salariais mínimos de 30 euros nos próximos dois anos, reposição do subsídio de turno e fixação do salário mínimo na empresa em 600 euros.

Plenário dos trabalhadores da Gestamp, em Vendas Novas (foto de arquivo)
Plenário dos trabalhadores da Gestamp, em Vendas Novas (foto de arquivo)Créditos / União de Sindicatos de Évora

O acordo alcançado ontem à tarde foi aprovado pelos trabalhadores da Gestamp no plenário que se seguiu à reunião negocial com a administração, de acordo com a União de Sindicatos de Évora (USE/CGTP-IN). As principais reivindicações – reposição do subsídio de turno, aumentos salariais e salário mínimo de 600 euros – foram alcançadas.

O subsídio de turno na empresa foi retirado há sete anos e vai ser reposto de imediato, com retroactivos a partir do passado mês de Setembro. Em matéria salarial, foi conseguida reposta positiva à exigência de um mínimo de 600 euros mensais já em Janeiro e aumentos salariais de 1%, com um mínimo de 30 euros mensais, no início de 2018 e de 2019.

Também no plano do combate à precariedade, os trabalhadores alcançaram uma importante vitória e conseguiram que a empresa se comprometesse à passagem a efectivos de 20 trabalhadores com vínculos precários durante a vigência do acordo, dez em cada um dois próximos dois anos.

O caderno reivindicativo foi aprovado em plenário convocado pelo Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Actividades do Ambiente do Sul (SITE Sul/CGTP-IN) no passado dia 9 de Setembro, que contou com a participação do secretário-geral da Intersindical. Na altura, o dirigente sindical afirmou que a reivindicação «mais imediata» diz respeito à «reposição do pagamento do subsídio de turnos», que «deixou de ser pago há uns anos, a pretexto da recessão económica e de dificuldades da empresa».

Das propostas dos trabalhadores constavam também o aumento do salário mínimo na empresa para 600 euros e a aumentos de 35 euros. No caso do salário mínimo, a vitório dos trabalhadores da Gestamp assume um importante significado, num momento em que se discute o aumento do salário mínimo nacional para 2018, com o Governo e o BE a ficarem-se pelos 580 euros, a UGT a falar em 585 euros como base de discussão e a CGTP-IN e o PCP a recolocarem a necessidade de um aumento para os 600 euros já em Janeiro.

Para 2019, o acordo aprovado pelos trabalhadores prevê ainda o aumento do subsídio de alimentação para sete euros em dia de descanso, a criação de um prémio de assiduidade trimestral de 75 euros, a aplicação de condições mais favoráveis aos trabalhadores no banco de horas em vigor na empresa e a criação de um seguro de saúde dentária e oftalmológica na empresa.

A fábrica de Vendas Novas, onde se produzem componentes para a indústria automóvel, pertence à multinacional espanhola Gestamp, que possuiu outras unidades em Aveiro e Viana do Castelo. No primeiro semestre do ano, o grupo apresentou lucros de 116 milhões de euros, uma subida de quase 25 milhões face ao mesmo período de 2016.

Tópico