|bombeiros profissionais

Bombeiros sapadores de Lisboa iniciam greve de 15 dias

Os bombeiros sapadores iniciam esta segunda-feira um novo ciclo de greve, até 5 de Março, contra as alterações do Governo sobre as carreiras que irão «agravar a vida e o trabalho de milhares de bombeiros profissionais».

Concentração dos Sapadores Bombeiros de Lisboa junto do Ministério do Trabalho e Segurança Social, Lisboa, 14 de Janeiro de 2019
Concentração dos Sapadores Bombeiros de Lisboa junto do Ministério do Trabalho e Segurança Social, Lisboa, 14 de Janeiro de 2019CréditosMIGUEL A. LOPES / LUSA

A greve dos cerca de 770 bombeiros sapadores do Regimento de Lisboa arranca esta noite com uma concentração de protesto no Quartel da Avenida D. Carlos I, às 20h, que contará com a presença do secretário-geral da CGTP-IN, Arménio Carlos.

O pré-aviso de greve foi entregue pelo Sindicato dos Trabalhadores do Município de Lisboa (STML/CGTP-IN), no seguimento dos vários plenários das últimas semanas, visto que não houve nenhuma concretização depois da reunião com o secretário de Estado da Proteção Civil, em Janeiro passado.

«Até hoje, não sabemos nada sobre qual é a produção final do estatuto da carreira, dos dois diplomas, do da carreira e da aposentação», afirmou Vítor Reis, presidente do STML, em declarações à Lusa.

Em causa estão os dois diplomas aprovados em Conselho de Ministros, sem qualquer consulta prévia com as estruturas sindicais, que alteram o estatuto de bombeiro profissional e a idade mínima da aposentação dos profissionais.

Os profissionais consideram que as alterações do Governo irão «agravar a vida e o trabalho de milhares de bombeiros profissionais», bem como vão «prejudicar o socorro que é prestado às populações».

A greve, que deverá durar até 5 de Março, vem na sequência de outras duas que registaram uma adesão quase total dos profissionais em Dezembro e Janeiro.

Com agência lusa

Tópico