Coesão territorial não pesou na hora de manter as portagens nas ex-Scut

Alheio à coesão territorial e ao desenvolvimento do Interior, o Parlamento chumbou esta sexta-feira os projectos de resolução do PCP, BE e PEV que recomendavam a eliminação das portagens nas antigas Scut. 

Os utentes exigem a abolição das portagens esclarecendo que faltam vias alternativas e seguras
Os utentes exigem a abolição das portagens esclarecendo que faltam vias alternativas e seguras Créditos / Razão Automóvel

Os deputados votaram em simultâneo os três projectos de resolução pela abolição das portagens na Via do Infante (A22), do PCP, BE e PEV, tendo as propostas sido chumbadas com os votos contra do PS e do deputado independente Paulo Trigo Pereira, a abstenção do PSD e do CDS-PP e os votos favoráveis dos proponentes, do PAN e de nove deputados do PS, entre os quais a porta-voz do partido, Maria Antónia Almeida Santos.

Os também deputados do PS, Luís Graça, Jamila Madeira, Fernando Anastácio e Ana Passos, todos eleitos pelo Algarve, anunciaram uma declaração de voto sobre a matéria.

Em relação à eliminação de portagens na A23, os projectos foram igualmente votados em conjunto, tendo sido rejeitados, com votos contra do PS e do deputado independente Paulo Trigo Pereira, abstenção do PSD, CDS-PP e três deputados do PS, e a favor do BE, PEV, PCP e 14 deputados do PS.

As deputadas do PS, Edite Estrela e Margarida Marques, votaram a favor da eliminação das portagens na A23, auto-estrada da Beira Interior, uma das vias de acessibilidade estruturantes e estratégica para toda a mobilidade nos distritos de Santarém, Portalegre, Castelo Branco e Guarda.

Também as propostas para abolição na A24 e na A25 foram rejeitadas, ao merecerem votos contra do PS e de Paulo Trigo Pereira, abstenção de PSD e CDS-PP e votos a favor de nove eleitos do PS e restantes partidos.

O projecto de resolução do PCP, que recomendava a eliminação das portagens na A28, A41/A42 e A29, foi chumbado com votos contra do PS e de Paulo Trigo Pereira, a abstenção do PSD e CDS-PP, e votos a favor do proponente e restantes partidos. As deputadas do PS Carla Sousa e Conceição Loureiro votaram a favor.

Durante a discussão no plenário, antes da votação, o deputado Jorge Machado, do PCP, lembrou que o partido queria travar «a injustiça de vários anos» a que se assiste de norte a sul do País, «de Viana ao Algarve», com as populações «a pagar para encher os bolsos das concessionárias» sem alternativas viáveis.

O deputado do BE João Vasconcelos lembrou que o primeiro-ministro prometeu acabar com as portagens no Algarve antes de ter sido eleito e que a alternativa à Via do Infante, a EN125, é considerada «a estrada da morte».   

Com Agência Lusa