|mobilidade e transportes

O estacionamento pode fazer parte de um desenvolvimento sustentável?

A criação de 2500 novos lugares de estacionamento gratuito em Setúbal, ligados à nova rede de transportes públicos, vai permitir alargar passeios e criar novas ciclovias na cidade.

Créditos / CC BY-SA 3.0

O objectivo é afastar os carros dos centros pedonais de Setúbal, criando novos hábitos para quem visita e vive na cidade. Uma das novas bolsas de estacionamento gratuito fica na zona da Várzea, nas imediações da Escola Básica Barbosa du Bocage, com mais de 500 lugares.

«Além de gratuitos, estes parques de rebatimento ficam integrados na nova rede de transportes públicos que chega em breve à cidade», anuncia, em comunicado, a Câmara Municipal de Setúbal (CMS). O concelho vai ser um dos primeiros a receber a nova rede de autocarros e carreiras da Carris Metropolitana, que inaugura no dia 1 de Junho.

Desta forma, as pessoas podem facilmente estacionar as viaturas nos parques gratuitos e utilizar a rede de transportes públicos para aceder a várias zonas da cidade, como a baixa e a frente ribeirinha.

«O espaço público é escasso e tem de ser bem gerido e regulado, tal como acontece nas cidades mais evoluídas em Portugal e na Europa. Acreditamos num futuro melhor para todos. É um projecto que vamos continuar para fazer mais cidade e construir mais Setúbal» vincou André Martins, presidente da CMS, no comunicado.

A criação destes parques «integra o programa de requalificação dos principais arruamentos da cidade, com a criação de novos passeios, ciclovias e rebaixamento de passeios nas passadeiras para facilitar a mobilidade», um desenvolvimento que a CMS entende estar enquadrado numa gestão moderna e integrada do espaço público.

«Estamos a trabalhar para criar mais dois parques na cidade, o que resulta numa capacidade total de parqueamento superior a 2500 lugares de utilização gratuita». Outra destas bolsas de estacionamento está a ser preparada nas imediações do terminal de autocarros da Várzea, que a autarquia está a requalificar com novas zonas de circulação pedonal e rodoviária, com mais de 70 lugares.

Tópico