|Câmara Municipal de Alcácer do Sal

Há um novo festival em Alcácer do Sal

Promovido pelo município, o Alcácer do Jazz quer explorar «as várias culturas que se cruzaram e cruzam em Alcácer, reconhecendo a riqueza da sua diversidade».

Salvador Sobral
Salvador Sobral CréditosJavier Etxezarreta / Epa/Lusa

O Alcácer do Jazz é um novo Festival que arranca hoje, produzido pela Associação Sons da Lusofonia (ASL), com a direcção artística de Carlos Martins e produção e colaboração da Câmara Municipal de Alcácer do Sal (CMAS). A ASL aplicou a sua «experiência de 19 anos de organização, curadoria e produção» para desenvolver o conceito deste evento que vai ter lugar, pela primeira vez, de 6 a 15 de Agosto na cidade de Alcácer do Sal e na aldeia da Comporta.

O saxofonista Carlos Martins, nascido em Grândola e fundador da ASL, cumpre as funções de director artístico dos espectáculos. A missão assumida pela sua associação é a de «contribuir para a cooperação entre países geo-culturalmente diversos, promovendo o desenvolvimento de uma identidade baseada nas tradições, comuns ou não, orientadas para o futuro».

A programação do Alcácer do Jazz vai integrar espectáculos do pianista Mário Laginha, as cantoras Marta Hugon e Maria João, o quinteto liderado pela cantora Beatriz Nunes, o cantor Salvador Sobral e o trio Barradas-Toscano-Pereira, «garantindo uma representação e igualdade de género na liderança dos projetos musicais em cartaz».

O evento vai promover, em simultâneo com a programação musical, «momentos de encontro com a comunidade e de debate que se debruçam sobre os temas "Música e Cultura Mediterrânea", "Matemática e Jazz" e o "Jazz nas Filarmónicas"», tendo esta última actividade a pretensão de trazer «os jovens, de ambos os sexos, da música de Banda para o mundo da improvisação».

Em declarações divulgadas no comunicado da CMAS, Carlos Martins assume que «apostar num Festival de Jazz em Alcácer do Sal é um acto de amor e de resistência feita pela afirmação da cultura através da apresentação da melhor música improvisada feita em Portugal. A CMAS apostou no Jazz como música de Liberdade e de elaborada e trabalhosa conexão com o momento e com as pessoas». O director artístico assume que esta aposta da Câmara Municipal «é um caminho para a Cultura em Portugal».

Todos os eventos do Alcácer do Jazz são inteiramente gratuitos, sem necessidade de reserva, mediante a lotação do espaço. Os concertos arrancam hoje, às 21h, na Praça Pedro Nunes, em Alcácer do Sal, com um espectáculo do Mário Laginha Trio.

Tópico