Câmara de Nelas «abre caminho» à privatização da recolha do lixo

O município de Nelas, no distrito de Viseu, vai negociar a concessão da recolha e transporte de resíduos sólidos urbanos indiferenciados com a Associação de Municípios da Região do Planalto Beirão.

Com a privatização dos serviços de água e lixo os trabalhadores têm postos em causa os seus postos de trabalho
Com a privatização dos serviços de água e lixo os trabalhadores têm postos em causa os seus postos de trabalhoCréditos / Correio da Manhã

O eleito da CDU na Assembleia Municipal de Nelas, Manuel Fonseca, votou contra a concessão da recolha e transporte de resíduos sólidos urbanos indiferenciados na sessão realizada na última sexta-feira e que foi a continuação da sessão de 28 de Dezembro.

No ponto referente à «apreciação e aprovação do contrato interadministrativo de delegação de competências do munícipio de Nelas para a Associação de Munícipios da Região do Planalto Beirão (AMRPB)», Manuel Fonseca denunciou que o município está apenas a concessionar a recolha por um período limitado de tempo. «Esta opção da Câmara demonstra um caminho de privatização, seja qual for o cenário, abdicando do controle de qualidade do serviço público», acrescentou.

Sobre a AMRPB, afirmou tratar-se de uma «agremiação» que tem funcionado como «entreposto público para chorudos negócios privados», nos domínios da distribuição de água e da recolha do lixo. 

Manuel Fonseca esclareceu que a CDU é frontalmente contra a alienação do serviço público de recolha do lixo, «por sabermos de prova provada que a lógica de prestação de serviço público às populações não se coaduna com os interesses privados, que têm na sua génese a procura de lucro sem contemplações com as necessidades dos que servem».

Reconheceu ainda o facto de estar em causa a «privatização de um direito humano» e anunciou futuros perigos. «Com os mesmos argumentos gratuitos de falta de pessoal, de envelhecimento das condutas e das captações, se justificará também, mais cedo do que tarde, a privatização da água no município», alertou.