|Honduras

Nasralla pede aos hondurenhos que se mobilizem contra a fraude

O ambiente continua tenso nas Honduras, depois de o candidato da oposição à presidência do país ter acusado o Supremo Tribunal Eleitoral (STE) de manipulação dos resultados. Salvador Nasralla instou os seus compatriotas a protestar de forma pacífica «em defesa dos nossos votos».

Salvador Nasralla, candidato à presidência das Honduras pela Aliança da Oposição contra a Ditadura
Salvador Nasralla, candidato à presidência das Honduras pela Aliança da Oposição contra a DitaduraCréditos / telemundo.com

Nasralla agradeceu, esta quinta-feira, a quem continua nas ruas «a defender os nossos votos» e incitou-os a prosseguir com os protestos, «de forma pacífica, não se deixando cair nas provocações dos apoiantes de JOH», enquanto se aguarda que o STE anuncie os resultados definitivos, sob suspeitas de «fraude».

«JOH» é Juan Orlando Hernández, actual presidente das Honduras e candidato à reeleição pelo Partido Nacional das Honduras, que, com 88% das mesas escrutinadas, ia à frente por uma diferença mínima, de meio ponto percentual.

Isso é o que mostra agora o portal da comissão de eleições hondurenha, depois de na segunda-feira, dia seguinte à realização das eleições presidenciais, o candidato da oposição ter surgido à frente da contagem com 5% de avanço.

Na terça-feira, o portal começou a funcionar com interrupções, sendo actualizado de forma esporádica, e, ontem, pelas 15h, sofreu um apagão. Quando o sistema voltou a funcionar, a vantagem de Nasralla tinha desaparecido e Hernández apareceu à frente.

O candidato pela Aliança da Oposição contra a Ditadura afirmou então não reconhecer os resultados, classificando o STE como uma instituição «corrupta e ao serviço do presidente».

Sobre o facto de ter assinado um acordo com a Organização de Estados Americanos (OEA) em que se comprometia, tal como Hernández, a aceitar os resultados, Salvador Nasralla disse que se tratara de uma «armadilha» e que não ia cair nela.

De acordo com o candidato da oposição, esse pacto «carece de validade», na medida em que foram introduzidas no sistema «actas adulteradas, sem assinatura». «Querem fazer de nós parvos e roubar-nos a vitória; já não acredito no tribunal», disse, citado pela Prensa Latina.

As suspeitas de fraude e a demora na publicação dos resultados levaram a que, ontem, apoiantes de Nasralla viessem para as ruas de Tegucigalpa, a capital das Honduras, exigir celeridade no processo de escrutínio e protestar contra a fraude. Os protestos continuaram pela madrugada fora e, segundo revela a TeleSur, apoiantes da Aliança foram espancados pelas forças de segurança nas imediações do STE.

A demora em todo o processo de escrutínio levou a que a Conferência Permanente de Partidos Políticos da América Latina e das Caraíbas (Copppal) chamasse a atenção para «indícios preocupantes e inquietantes» que apontam para a possibilidade de um golpe eleitoral.

Por seu lado, o STE reconheceu ter tido falhas no seu sistema, mas sem que estas interferissem no resultado.

Tópico