|Redes sociais

Algoritmo do Twitter privilegia discursos e políticos de direita

Um estudo desenvolvido pela rede social, em conjunto com vários investigadores, demonstrou que o seu algoritmo favorece, duas a três vezes mais, perspectivas de direita, amplificando o seu alcance.

Tendo assumido que «existe um intenso debate, público e académico, sobre a possibilidade de alguns grupos beneficiarem de amplificação em relação a outros», umas das maiores redes sociais do planeta, o Twitter, desenvolveu um estudo sobre o funcionamento do seu algoritmo, com o apoio das Universidades de Cambridge, Califórnia e de Londres.

«O conteúdo da página de cada utilizador é seleccionado e ordenado por algoritmos personalizados. Priveligiando, consistentemente, algum conteúdo em detrimento de outro, estes processos podem amplificar algumas mensagens aos mesmo tempo que limitam outras», explica o documento. 

O estudo comparou as experiências de utilizadores com algoritmos personalizados com a dos menos de 1% que ainda usam o Twitter numa organização exclusivamente cronológica. A avaliação tem como base a realidade do Reino Unido, os Estados Unidos da América, da Alemanha, do Canadá, de Espanha, do Japão e de França.

Para além de dominar os espaços de informação nos media, algoritmo garante a prevalência da direita nas redes sociais

O estudo concluiu que, à excepção da Alemanha, tweets de políticos de direita têm uma muito maior amplificação do que os de políticos de esquerda. Também as organizações noticiosas de direita registam o mesmo padrão: muito maior dispersão do que aquela que existe numa disposição simplesmente cronológica.

«Em seis destes sete países (a Alemanha é a única excepção) tweets de políticos de direita recebem maior amplificação do que de esquerda, organizações noticiosas de direita mais do que as de esquerda». A comparação foi estabelecida entre o conteúdo produzido por políticos que ocupam, actualmente, cargos regionais, parlamentares ou nacionais (mais de três mil).

Para uma avaliação rigorosa dos milhões de tweets analisados, o estudo estabelece que o valor de 0%, corresponde a um tweet cuja disseminação corresponda àquele que se verifica numa ordem cronológica, enquanto o valor de 100% significa que o tweet tem o dobro da exposição do que seria normal.

No Reino Unido e no Canadá, a exposição de comentários feitos por políticos de direita no Twitter chega a ser quatro vezes superior ao valor expectável, 176% e 167% respectivamente. A amplificação do discurso da direita em Espanha chega a ultrapassar os 200% (quatro vezes mais do que o suposto), em que o PP, Partido Popular, domina por completo o algoritmo.

O director de engenharia informática desta rede social, Rumman Chowdhury, considerou que a comprovação, por parte deste estudo, da existência de um algoritmo que amplifica uma certa tendência política é «problemática. Se existir um tratamento preferencial na base de como o algoritmo é construído, contra o modelo supostamente normal, em que as pessoas interagem com o conteúdo», é posta em causa a independência das redes sociais.

Esta informação não vai levar, por enquanto, à alteração do software desta rede social, tendo esta alegado serem precisas mais investigações para se chegar a alguma informação mais conclusiva.

Tópico