|Companhia de Teatro de Almada

«Se Isto é um Homem» candidato a dois globos de ouro

Encenação da Companhia de Teatro de Almada, adaptada da obra homónima do escritor e partisan italiano Primo Levi, está nomeada para o prémio de melhor actor e melhor espectáculo.

Cláudio da Silva interpreta a obra <em>Se Isto é um Homem</em>, com encenação de Rogério de Carvalho 
Cláudio da Silva interpreta a obra Se Isto é um Homem, com encenação de Rogério de Carvalho CréditosCompanhia de Teatro de Almada

Com estreia no 36.º Festival de Almada, em 2019, quando se comemorava o centenário do nascimento de Primo Levi, o espectáculo que passou por várias digressões por todo o País é agora reconhecido com a nomeação do encenador Rogério de Carvalho e da interpretação de Cláudio da Silva para os Globos de Ouro.

O prémio e é atribuído desde 1996, pela estação de televisão SIC e a revista Caras, a profissionais das várias áreas da arte e entretenimento no País. Não se tendo realizado em 2020, devido à pandemia, a actual edição refere-se a produções estreadas entre Abril de 2019 e Abril de 2021.

«Fui deportado para Auschwitz só em 1944, depois de o governo alemão, em vista da crescente escassez de mão-de-obra, resolver prolongar a vida média dos prisioneiros a serem eliminados, concedendo sensíveis melhorias no seu nível de vida e suspendendo temporariamente as matanças arbitrárias». É assim que o autor da obra introduz as suas memórias do cárcere no campo de extermínio alemão, em Se Isto é um Homem.

«A necessidade de contar "aos outros", de tornar "os outros" participantes, alcançou entre nós, antes e depois da libertação, carácter de impulso imediato e violento, até ao ponto de competir com outras necessidades elementares», motivando o escritor a desenvolver esta obra, em 1947, mas que só veio a ser reconhecida internacionalmente no final dos anos 50.

O campo de extermínio de Auschwitz funcionou durante um período de cerca de quatro anos, entre Maio de 1940 e 27 de Janeiro de 1945, até à sua libertação pelo exército soviético. Estima-se que mais de 1,1 milhões de pessoas tenham sido assassinadas nesse espaço pelo regime nazi.

Tópico