|Lisbon & Sintra Film Festival

«Resistências» marca a 13.ª edição do LEFFEST

A antestreia de Marighella, de Wagner Moura, e um simpósio sobre «Resistências», com a presença do ex-presidente do Equador, Rafael Correa, marcam o LEFFEST, que arrancou sexta-feira.

Elenco do filme
Elenco do filme "Marighella" (biografia do militante comunista brasileiro morto pelo regime em 1969) do realizador Wagner Moura na sua estreia mundial no Festival internacional de Cinema de Berlim. Na conferência de imprensa de apresentação, o realizador não deixou de se posicionar quanto à situação política no seu país, nomeadamente o crescimento do ódio e da ideologia fascista que têm no presidente eleito, Jair Bolsonaro o seu maior representante.CréditosHannibal Hanschke

O Lisbon & Sintra Film Festival (LEFFEST), a cumprir a 13.ª edição, arrancou com a exibição do filme Passámos por Cá, do realizador britânico Ken Loach, no Espaço Nimas, em Lisboa, seguindo-se um debate sobre «Revolução e sociedade: Como lutar sobre a questão social?».

A programação do festival estará repartida entre as duas cidades com vários ciclos de homenagens, nomeadamente aos realizadores Wim Wenders e Christian Petzold, ao actor Willem Dafoe, à realizadora portuguesa Rita Azevedo Gomes e ao autor e produtor de cinema de animação José Miguel Ribeiro.

Destaque para a exibição, no domingo em Lisboa, de Marighella, filme do actor e realizador Wagner Moura sobre o político comunista brasileiro Carlos Marighella, opositor durante a ditadura no Brasil, e para a antestreia portuguesa, no sábado em Sintra, de Les Misérables, primeira obra de ficção de Lady Li, candidato de França a uma nomeação para os Óscares.

O festival acolherá ainda, neste fim-de-semana, um simpósio internacional sobre o tema «Resistências», com curadoria do advogado Juan Branco, e que contará, entre os convidados, com o ex-presidente do Equador, Rafael Correa.

O Lisbon & Sintra Film Festival, uma iniciativa do produtor Paulo Branco, decorrerá até 24 de Novembro e contará ainda com um recital da pianista Maria João Pires e um cine-concerto dos Mão Morta para o filme A Casa na Praça Trúbnaia (1928), de Boris Barnet.


Com agência Lusa

Tópico