|Música

Festival Imaterial em Évora: «Um diálogo entre culturas distintas»

A iniciativa, que termina já este fim-de-semana, nasceu na cidade alentejana, que em 1986 foi reconhecida como património material pela UNESCO, com o intuito de celebrar a cultura imaterial do mundo. 

O centro histórico de Évora foi classificado como Património Mundial da UNESCO em 1986
O centro histórico de Évora foi classificado como Património Mundial da UNESCO em 1986Créditos

Hoje será a vez de Marc Lints, administrador do grupo Creoles Cultures, apresentar a «iniciativa de candidatura das culturas crioulas no património cultural imaterial da UNESCO» que tem vindo a ser preparada nos últimos anos. O processo tem por objectivo assegurar a «preservação de práticas artísticas concretas e à sensibilização de artistas e instituições para a promoção das suas culturas» nas comunidades crioulas.

Esta iniciativa, que decorrerá no Salão Nobre do Teatro Garcia de Resende, dará, de seguida, lugar a uma conferência sobre o património imaterial, onde se discutirão «os efeitos positivos e negativos da inclusão de várias expressões na lista da UNESCO». Será também dado destaque às consequências que advêm «dos movimentos migratórios nas culturas de raiz local e a responsabilidade comum para com estas expressões».

O festival, organizado pela Câmara Municipal de Évora, entende que «a cidade, a sua envolvência e toda a região do Alentejo Central tornam-se o palco perfeito para que as músicas que são património da humanidade se apresentem em lugares carregados de História e possam com cada um deles encetar um diálogo único».

Partindo da celebração da consagração do Cante Alentejano em 2014, a organização defende que, «num tempo em que muros, fronteiras e isolamentos tentam separar-nos do outro, o Imaterial é também um palco aberto para essa noção de que o outro é, afinal, cada um de nós nascido noutra circunstância».

Serão vários os concertos até ao próximo sábado, dia 26 de Junho, com showcases de grupos como Magalí Sare & Manel Fortià, da Catalunha, O Gajo e, a encerrar esta semana de concertos, Los Hermanos Cubero, de Castela, entre muitos outros que ocuparam na última semana o património da cidade de Évora de música e conferências.

Tópico