|cinema

Festival de Curtas de Évora: «20 anos comprometidos com o cinema»

A edição comemorativa do vigésimo aniversário do Festival Internacional de Curtas-Metragens de Évora vai apresentar obras de 120 países, entre os dias 20 e 25 de Setembro.

Pormenor do Cartaz da Edição de 2021 do FIKE 
Pormenor do Cartaz da Edição de 2021 do FIKE CréditosBernardo Bagulho / FIKE

«Parte integrante da grande programação cultural da cidade, sempre comprometido com a divulgação e promoção do cinema e com a formação de públicos», o FIKE, Festival Internacional de Curtas-Metragens de Évora, «realiza-se anualmente na cidade de Évora, cidade candidata a Capital Europeia da Cultura 2027».

Para além das exibições cinematográficas nas categorias de Ficção, Animação e Documentário, a decorrer no Auditório Soror Mariana e Teatro Garcia de Resende, o evento vai ainda promover «mostras paralelas, masterclasses, workshops,  exposições, concertos e debates», complementando o vasto programa de aniversário do FIKE.

É de destacar a Mostra de Cinema Cubano, no dia 21 de Setembro, a Mostra do Festival de Cinema Africano, no dia 22 de Setembro, e a Mostra do Cinemazónia, com a exibição do documentário Nheegatu - A Língua da Amazónia, no dia 23 de Setembro.

António-Pedro Vasconcelos, realizador do Cinema Novo Português, será a figura homenageada pelo Festival, com a exibição do filme Jaime,  sobre «um menino de 13 anos, que vive convencido que a separação foi causada pelo roubo da motocicleta do pai, que fez com que ele perdesse o emprego». A sessão terá lugar no dia 22 de Setembro, às 19h, no Auditório Soror Mariana.

O FIKE 2021 é organizado pela «SOIR-Joaquim António de Aguiar e conta, na 17ª edição do festival, com o apoio do Instituto do Cinema e do Audiovisual (ICA), da Câmara Municipal de Évora, da CIMAC, da Direcção Regional de Cultura do Alentejo, assim como da Universidade de Évora».

As entradas são livres, limitadas à lotação da sala. A organização garante o cumprimento das normas sanitárias em vigor.

Tópico