|E o mundo é a nossa tarefa

E o mundo é a nossa tarefa #108

Esta semana o poema Fumo Negro das Fábricas de António Dias Lourenço e a obra  A mão do Homem  de Sebastião Salgado. E o mundo é a nossa tarefa é uma escolha semanal de Manuel Augusto Araújo.

A mão do Homem, Sebastião Salgado
A mão do Homem, Sebastião SalgadoCréditosSebastião Salgado

Fumo Negro das Fábricas

Eu te saúdo,ó fumo negro das fábricas
Eu te saúdo!
Aí onde maculas o azul
Onde rolas ao sabor da ventania,
HÁ homens que o carvão tingiu de negro
Homens verdes, brancos, amarelos,
Homens cor do cimento e da ferrugem,
Homens sem raça!
Homens sem cor!
Eu te saúdo,ó fumo negro das fábricas!
Tu que és negro resíduo
Desse estupendo cadinho
Onde se fundem tragédias.
Eu te saúdo,ó fumo negro das fábricas!
Nessa raça de homens que não têm raça,
Nessa raça de homens que não têm cor.
Eu te saúdo
Pelos rostos banhados de suor,
Verdes, brancos, amarelos,
Cor do cimento e da ferrugem
Que o carvão risca de negro.

António Dias Lourenço

E o mundo é a nossa tarefa é uma escolha semanal de Manuel Augusto Araújo.

Tópico