|CENA-STE

CENA-STE exige «esclarecimento» ao Teatro Municipal do Porto

Após as denúncias dos casos de censura, coacção e assédio moral, que recentemente ocorreram no Teatro Municipal do Porto, o CENA-STE organizou um encontro aberto para auscultar os profissionais da cultura.

Créditos / CENA-STE

No encontro estiveram presentes mais de 50 pessoas, entre as quais actores, produtores, directores de companhias de teatro, técnicos do audiovisual e público, que reprovaram a actuação do Teatro Municipal do Porto/Ágora - Cultura e Desporto do Porto.

Segundo o comunicado do Sindicato dos Trabalhadores de Espectáculos, do Audiovisual e dos Músicos (CENA-STE/CGTP-IN), os presentes manifestaram que as competências de um director artístico «não devem interferir nos processos e nas decisões artísticas» dos responsáveis pelos projectos que integram a programação do teatro municipal. Por sua vez, também as competências de um executivo camarário «não devem interferir no decurso do trabalho de um director artístico de um equipamento municipal».

«Só com a separação de poderes e competências, há a independência de todos os intervenientes», pode ler-se na nota.

O CENA-STE exige que haja um «esclarecimento público» do Teatro Municipal do Porto sobre todos os casos, uma vez que neste encontro houve outros testemunhos de situações «reveladoras de comportamentos abusivos», afirma.

«Até ao momento não houve qualquer desmentido, retratação, ou pedido de desculpas, dada a gravidade destes casos. Apenas "foi reconhecido o erro", tout court, de um deles, como se ingerência fosse um procedimento "normal", inevitável e inócuo, decorrente da gestão dos processos de criação e não um abuso de poder», referiu o sindicato.

Uma vez que foi identificada a dificuldade no acesso dos artistas aos equipamentos municipais, o sindicato tem em vista a criação de um «manual de boas práticas» que será enviado para o teatro municipal, por forma a «melhorar a relação entre profissionais e direcção artística».

Tópico