|CESP

Trabalhadores da Inditex lutam contra moda dos baixos salários

Os trabalhadores dos distritos de Lisboa e de Setúbal do grupo Inditex, dono da Zara, vão concentrar-se junto à sede da empresa, na próxima segunda-feira, para exigir aumentos salariais.

Créditos / NiT

A reivindicação por melhores salários anda de mãos dadas com a denúncia de uma desigual distribuição da riqueza. No ano passado, a espanhola Inditex registou um aumento de 30% dos seus lucros, tendo alcançado 5,4 mil milhões de euros, realidade que não teve tradução no ordenado dos trabalhadores do grupo.

«Em 2024, os aumentos salariais para quem construiu estes resultados, os trabalhadores, não foram além dos 60 euros — e a maioria ficou abaixo deste valor já insuficiente», denuncia o Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal (CESP/CGTP-IN), através de comunicado. 

Os trabalhadores do grupo Inditex, dono da Zara, Pull&Bear, Massimo Dutti, Bershka, Stradivarius, Oysho e Zara Home, reclamam o aumento dos salários e a valorização das carreiras, a par da melhoria das condições de trabalho. 

Na próxima segunda-feira, 13 de Maio, estarão reunidos, entre as 10h30 e as 13h30, junto à sede da Inditex em Portugal, na Avenida Fontes Pereira de Melo, em Lisboa. 

Tópico

Contribui para uma boa ideia

Desde há vários anos, o AbrilAbril assume diariamente o seu compromisso com a verdade, a justiça social, a solidariedade e a paz.

O teu contributo vem reforçar o nosso projecto e consolidar a nossa presença.

Contribui aqui