|pesticidas

«Celuloses estão a contaminar o pólen», denunciam os apicultores do Caramulo

As pulverizações realizadas nos eucaliptais pela Navigator e outras empresas de celulose estão a contaminar o pólen com um insecticida que, quando consumido, leva à extinção das abelhas.

O PCP propõe um plano articulado entre o Ministério da Agricultura e as câmaras municipais de modo a controlar esta nova praga
O PCP propõe um plano articulado entre o Ministério da Agricultura e as câmaras municipais de modo a controlar esta nova pragaCréditosPaulo Novais / Agência Lusa

A denúncia foi transmitida pelos apicultores a Miguel Viegas, eleito do PCP no Parlamento Europeu, durante uma visita à vila do Caramulo, no distrito de Viseu, esta quarta-feira.  

Segundo informações recolhidas, a empresa Navigator e outras empresas de celulose terão pulverizado os seus eucaliptais com EPIK para tratar e controlar a doença do gorgulho-do-eucalipto (Gonipterus platensis). O procedimento realizado em finais de Maio terá abrangido mais de 40 hectares da Serra do Caramulo, 400 na região de Mortágua e centenas de hectares nas encostas de Águeda. 

Os apicultores criticam a utilização deste insecticida, proibido na União Europeia, pelo facto de o período das pulverizações ter coincidido com a floração de árvores e plantas, altura em que as abelhas recolhem o pólen com que se vão alimentar no interior dos apiários.

«Polén contaminado com o EPIK, que uma vez consumido, conduzirá ao desaparecimento das abelhas e consequentemente de milhares colónias», lê-se num comunicado remetido pelo PCP.

O deputado Miguel Viegas lembra que este insecticida foi usado no âmbito de uma campanha específica de combate ao gorgulho-do-eucalipto, entre 2011 e 2015, salientando que, neste momento, «não existe nenhuma justificação para o uso do EPIK até porque existem outras formas de combater esta praga dos eucaliptos».

Numa pergunta dirigida à Comissão Europeia, além da avaliação do uso deste neonicotinóide – numa altura em que a Agência Europeia de Segurança Alimentar já se pronunciou acerca da sua toxicidade e quando o Parlamento Europeu e o Conselho já se manifestaram contra o seu uso – Miguel Viegas indaga sobre as medidas para banir estes produtos na União Europeia. 

O eleito frisa ainda que nada move o PCP contra o eucalipto desde que a sua exploração não prejudique outras actividades igualmente necessárias à economia.

Tópico