23 a 29 de Dezembro

Pós-laboral #6

E que sugerir naquela semana em que meio mundo e o outro têm os seus planos? Ficam algumas ideias para um natal alternativo e para os buracos entre o dito e a passagem de ano. Até 2017!

«Um Conto de Natal»
«Um Conto de Natal»Créditos

Nos palcos:

Toda a gente conhece o Sr. Scrooge? Não sei se toda, mas quase toda, certamente. Charles Dickens, talvez o (ou um dos) maior escritor de personagens-tipo, e o Sr. Scrooge é uma criação exemplar. O Teatro da Terra decidiu voltar a levar a cena «Um Conto de Natal», com encenação partilhada entre Maria João Luís e Ricardo Neves-Neves. Um bom texto, bons encenadores, bons actores, um coro e fantasmas. Não percam; é no Teatro da Trindade de 28 a 30 de Dezembro, naturalmente para toda a família.

Nas folhas:

Esta semana haverá certamente alguns dias de descanso, para alguns até mesmo férias. É portanto uma boa altura para abrir pela primeira vez um novo livro ou um livro novo, não importa.

«A Morte de Bunny Munro», de Nick Cave

Ficam algumas sugestões: «A Morte de Bunny Munro», de Nick Cave; «O Torcicologologista, Excelência», de Gonçalo M. Tavares; «A doença, o sofrimento e a morte entram num bar – uma espécie de manual de escrita humorística», de Ricardo Araújo Pereira; «O Padrinho», de Mario Puzo; a «Bíblia Sagrada», «O Corão», a «Torá», de vários autores, seja-se ou não crente, está lá tudo o que precisamos para conhecer melhor o bicho humano, nunca li nenhum do princípio ao fim, mas prometo que não morro sem o fazer. Prometo, não juro...

Na mesa:

Doces fritos, bacalhau, cabrito, bolo-rei, tronco de natal, etc., etc... Não se esqueçam totalmente da ementa tradicional, mas assim de repente variem um pouco.

Sugestão: cervejas artesanais, uma tábua de queijos enchidos das várias regiões do país e pudim trapalhão (não sei se muita gente conhece a receita, mas garanto-vos que é o melhor bolo inventado desde o Big Bang).

Nas ruas:

OK, o Natal, para lá da parte religiosa e da parte comercial das prendas, costuma ser referido como a festa da família. Mas é bom nunca perder de vista que «a família» é um conceito que ultrapassa o sangue. Se não for antes, aproveitem a noite de dia 25 para ir beber um copo com amigos. E abracem-nos, estamos todos e todas a precisar de carinho e aconchego, 2017 é uma incerteza que não adivinha facilidades... «the Trump is coming... muahahahahahah!!!»