|teatro

Festival do Teatro celebra a cultura com mais de 30 espectáculos pela cidade

A dupla Fado Bicha, de Lila Fadista e João Caçador, vai ser a responsável pelo espectáculo de abertura da 22.ª edição do Festival Internacional de Teatro de Setúbal, que decorre de 21 a 29 de Agosto, nesta cidade.

Créditos / Câmara Municipal de Setúbal

«O festival vai abrir no Jardim Multissensorial das Energias, com o Fado Bicha. Não é teatro, mas é fado espectáculo, interpretado por pessoas da comunidade LGBT, que acreditam que o fado foi estigmatizado durante muito tempo – o marialva e coisas do género -, e que nunca refletiu a condição que eles têm, que eles representam», disse à Lusa o director do festival.

«É um espectáculo alternativo», acrescentou José Maria Dias, que também dirige o Teatro Estúdio Fontenova, de Setúbal, lembrando que o Festival Internacional de Teatro sempre teve a preocupação de apresentar «coisas novas».

José Maria Dias falava na apresentação do festival, que decorreu esta quinta-feira na Casa da Baía, com a presença da presidente da Câmara Municipal de Setúbal, Maria das Dores Meira.

«O Festival Internacional de Teatro de Setúbal tem sido um palco privilegiado de divulgação de novos valores e de promoção do acesso à cultura», disse a autarca setubalense, sublinhando a importância deste evento cultural para o concelho.

Com duas estreias asseguradas para este ano, Os Amores Clandestinos, do grupo Hotel Europa, e Lugar-Abrigo, de Ricardo Guerreiro Campos, o director do festival lembra que há muitos espectáculos para ver, incluindo «teatro, exposições, 'performances', projecção de curtas-metragens, 'workshops' e conferências».

«Temos a sede do festival, no Fórum Municipal Luísa Todi, e depois temos um grande polo onde estão os outros espectáculos, na Escola Secundária Sebastião da Gama, onde temos três espaços: o ginásio, o auditório e o pátio exterior. Também vamos ter espectáculos, no Jardim do Bonfim e no Parque Tecnológico Jardim Multissensorial da Energias, nas Escarpas de Santos Nicolau, no espaço exterior da Casa da Cultura, e também na Gráfica, antigos armazéns dos Papéis do Sado», acrescentou José Maria Dias.

Participam nesta edição do festival A Companhia de Teatro do Algarve, o Teatro Extremo de Almada e a Companhia Mascarenhas Martins, entre outras estruturas. As participações estrangeiras ficam aquém do habitual, dado que algumas companhias optaram por não se deslocar, devido à Covid-19, e outras não o puderam fazer, por dificuldades logísticas e de transporte.


Com agência Lusa

Tópico