Trabalhadores da Empresa Gráfica Funchalense lutam por melhores salários

Os trabalhadores da Empresa Gráfica Funchalense estão a realizar uma greve de 48 horas, por uma actualização de salários que contemple todos os trabalhadores.

http://www.abrilabril.pt/sites/default/files/styles/jumbo1200x630/public/assets/img/grafica_funchalense.jpg?itok=YNwcVtoo
Representantes dos trabalhadores da Empresa Gráfica Funchalense em conferência de imprensa
Representantes dos trabalhadores da Empresa Gráfica Funchalense em conferência de imprensaCréditos / SITE CSRA

Na sequência do plenário realizado no dia 2 de Dezembro de 2016, os trabalhadores da Gráfica Funchalense, localizada em Pêro Pinheiro, decidiram continuar a luta para que as actualizações salariais contemplem todos os trabalhadores, marcando uma greve de 48 horas, que teve início às 8 horas de ontem e termina às 8 horas de amanhã.

Tendo em conta a ausência de diálogo com a actual administração da empresa, foi ainda decidido solicitar reuniões aos accionistas, nomeadamente às administrações da Global Notícias - Media Group e à Sociedade Vicra Desportiva, no sentido de se discutirem as questões dos trabalhadores e encontrar soluções para os seus problemas.

Em comunicado aos trabalhadores da empresa, a comissão sindical, do Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Actividades do Ambiente do Centro Sul e Regiões Autónomas (SITE CSRA), informa que as actualizações salariais não aconteciam há 10 anos, tendo a empresa actualizado em Dezembro os salários abaixo de 875 euros, «sem qualquer critério ou explicação, e que em várias situações apenas se antecipou à actualização do salário mínimo nacional a aplicar neste ano, continuando a ignorar os representantes dos trabalhadores».

Hoje, a comissão sindical e os trabalhadores, também com a presença do secretário-geral da CGTP-IN, Arménio Carlos, estiveram concentrados junto à Sociedade Vicra Desportiva, em Lisboa. Ontem, deslocaram-se à Global Notícias.

0 Comentários

no artigo "Trabalhadores da Empresa Gráfica Funchalense lutam por melhores salários