|Más condições laborais

Lusiaves acusada de aproveitamento da tragédia de Pedrogão Grande

O Sintab acusa o presidente da Lusiaves de aproveitamento da comunicação social, no contexto do incêndio de Pedrogão Grande, para enaltecimento da empresa, ao mesmo tempo que os seus trabalhadores estão sujeitos a más condições laborais.

http://www.abrilabril.pt/sites/default/files/styles/jumbo1200x630/public/assets/img/lusiaves.jpg?itok=9vvqWYaX
O Sintab acusa a Lusiaves de praticar más condições laborais
O Sintab acusa a Lusiaves de praticar más condições laboraisCréditos / Dinheiro Vivo

O Sindicato dos Trabalhadores da Agricultura e das Indústrias de Alimentação, Bebidas e Tabacos de Portugal (Sintab/CGTP-IN) denunciou, numa nota enviada à imprensa, que o presidente da Lusiaves Indústria de Comércio Agro-alimentar fez «aproveitamento público de uma tragédia», utilizando a comunicação social para afirmar que iria criar postos de trabalho para a população do distrito de Leiria.

Afirmando que gostaria que esta fosse uma realidade, o sindicato acrescenta que sente a «obrigação» de denunciar «as más práticas existentes na empresa», dando vários exemplos.

A estrutura sindical dá conta de que, nesta empresa, não há horário de saída nem horário regular de paragem para refeição. É ainda reportado que a empresa controla o tempo de pausa dos trabalhadores, «verificando in loco se [estes] de facto usufruem do direito de irem aos sanitários».

A nota afirma ainda que nesta empresa são usadas câmaras de videovigilância, posicionadas para os locais de trabalho, e que não são cumpridas «as normas de segurança e saúde no trabalho». É pago o salário mínimo a 70% dos trabalhadores.

O Sintab revela ainda que, na situação de acidentes de trabalho, os responsáveis da empresa «não accionam os meios de emergência médica e o seguro da empresa, e forçam os trabalhadores a serem transportados para o hospital em viatura própria ou da empresa».

Tópico

0 Comentários

no artigo "Lusiaves acusada de aproveitamento da tragédia de Pedrogão Grande