Alunos da FCSH reivindicam prato social a preço justo

Alunos da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH) da Universidade Nova de Lisboa desencadearam esta semana uma acção de protesto contra a escalada de aumento do preço do prato social.

http://www.abrilabril.pt/sites/default/files/styles/jumbo1200x630/public/assets/img/estudantes_fcsh.jpg?itok=FvT8iN7L
Os estudantes contestam o consecutivo aumento do prato social que custa 2,80 euros, desde a subida no semestre passado
Os estudantes contestam o consecutivo aumento do prato social que custa 2,80 euros, desde a subida no semestre passadoCréditos

Realizou-se anteontem a concentração dos alunos na cantina da FCSH, iniciativa que marca o início de um «fotoprotesto» pela diminuição do preço do prato social e o seu congelamento, mas também contra «todos os ataques» que actualmente condicionam o dia-a-dia dos estudantes do Superior.

«Derivado aos anos de políticas de ataque ao Ensino Superior público, universal, gratuito e de qualidade, este ano verificou-se mais um obstáculo às condições dos estudantes na faculdade: o aumento do preço do prato social», lê-se no manifesto distribuído pelos estudantes.

Recordam o aumento de 15 cêntimos registado no semestre anterior, passando para 2,80 euros, e prevêem que o prato social possa voltar a subir no próximo semestre.

Por outro lado, referem que a qualidade da cantina segue no sentido inverso e apontam a «negligência» de que são vítima as instituições de ensino por parte do Estado, «criando uma degradação das condições proporcionadas pelas faculdades aos estudantes». Acrescentam que desta realidade decorre «a perda de qualidade da cantina», apesar de os preços continuarem a aumentar.

Denunciam ainda que, «justificando o aumento do preço do prato social como o resultado de um aumento em paridade com o aumento do salário mínimo, o Estado acaba por inserir mais entraves e dificuldades aos estudantes».

0 Comentários

no artigo "Alunos da FCSH reivindicam prato social a preço justo