|Síria

ONU: «coligação internacional» provoca inúmeras vítimas civis em Raqqa

A intensificação dos ataques aéreos contra Raqqa, por parte da coligação liderada pelos EUA, «está a provocar uma espantosa perda de vidas entre os civis», denunciou, esta quarta-feira, um representante das Nações Unidas.

https://www.abrilabril.pt/sites/default/files/styles/jumbo1200x630/public/assets/img/siria-coligacao-eua_1.jpg?itok=3jlX4s5B
Caças norte-americanos F-15 (foto de arquivo)
Caças norte-americanos F-15 (foto de arquivo)Créditos / Sputnik News

«Observámos que a intensificação dos ataques aéreos, que prepararam o terreno para o avanço das [chamadas] Forças Democráticas Sírias (FDS), não só provocou uma espantosa perda de vidas civis, mas levou também a que mais de 160 mil civis fugissem de suas casas, tornando-se deslocados internos», disse hoje, em Genebra, o presidente da Comissão Independente de Inquérito das Nações Unidas sobre a Síria, Paulo Pinheiro, informa a HispanTV.

«O imperativo da luta contra o terrorismo não pode, contudo, ser levado a cabo à custa de civis que se encontram, contra sua vontade, em áreas onde o Daesh está presente», acrescentou.

Com o apoio da coligação liderada pelos Estados Unidos, as FDS lançaram, há uma semana, uma ofensiva para conquistar Raqqa, considerado o principal bastião do Daesh na Síria, e já alcançaram alguns ganhos a oeste, leste e norte da cidade.

Estas operações em território sírio não são autorizadas pelo governo de Damasco, nem respondem a nenhum mandato do Conselho de Segurança das Nações Unidas. Para além disso, a chamada «coligação internacional» tem sido frequentemente acusada de bombardear a população civil, provocando milhares de vítimas – das quais o Pentágono reconhece cerca de quatro centenas.

Na semana passada, as forças lideradas pelos norte-americanos foram acusadas de realizar vários ataques aéreos sobre zonas residenciais de Raqqa com bombas de fósforo branco, proibidas internacionalmente, segundo revelou a agência SANA.

Tópico

0 Comentários

no artigo "ONU: «coligação internacional» provoca inúmeras vítimas civis em Raqqa